Atenção líderes! É preciso cultivar e manter a confiança da equipe

A confiança é algo fundamental para o trabalho em equipe. Confiar implica se colocar em situação de vulnerabilidade perante aquele em quem confia, acreditando em suas boas intenções e que ele fará a coisa certa. A confiança entre os membros de uma equipe nos traz certa insegurança, fazendo-nos questionar: “Como fazer para que as pessoas confiem mais umas nas outras?”. É certo que a disposição em confiar varia de uma pessoa para outra, mas podemos dizer que todas são propensas a isso, desde que reconheça no outro certos comportamentos que o qualificam como um indivíduo confiável. Trata-se, portanto, de valorizar e estimular a adoção desses comportamentos, que são:

  • Competência: conjunto de habilidades, talentos e características que permitem à pessoa ter influência em determinado campo de atuação.
  • Transparência: a atitude de dizer a verdade e colocar sinceramente as expectativas que se têm em relação ao outro.
  • Cumprimento das metas: trata-se de realizar o que o prometeu ou se comprometeu em fazer.
  • Consistência: é a característica da pessoa cujas atitudes estão alinhadas com um histórico de condutas passadas.
  • Comprometimento: uma pessoa comprometida atua com auto-responsabilidade, seriedade e empenho em atingir os resultados esperados.
  • Coerência: coerente é a pessoa que faz aquilo que prega e que considera bom para os outros e para si mesma.
  • Cumplicidade: trata-se de criar algo em comum com o outro, uma relação de parceria e lealdade na qual os objetivos e motivos estão implícitos.

Tente imaginar uma equipe que trabalha com um líder que não tem a menor confiança no resultado do esforço de seus liderados. Por mais que eles se esforcem em demonstrar que são capazes de acertar e que estão dispostos a seguir as instruções que receberam, não conseguem a confiabilidade do seu líder.

Por mais que esse líder procure se justificar, alegando ser cuidadoso com sua função ou zeloso pelos interesses da organização ou empresa, não há desculpas para essa falta total de confiança. Uma pessoa que está à frente de um grupo no qual não leva fé está apenas perdendo tempo: o dela e o dos liderados. Não é possível construir um bom trabalho de equipe sobre incertezas ou inseguranças. Mais cedo ou mais tarde, esse tipo de relação revela sua fragilidade, causando frustração tanto ao líder quando ao grupo.

É muito difícil determinar o que gera esse tipo de desconfiança. Na verdade, cada caso é um caso. O fundamento pode estar em uma experiência anterior e desagradável do líder com um ou mais membros daquela equipe. É possível, também, que a disputa por aquela vaga de liderança tenha sido motivo de grande contenda ou controvérsia e, depois de definida, restou certo ressentimento entre duas ou mais partes envolvidas.

A desconfiança também pode ser gerada em consequência de o líder vir de outro ambiente corporativo ou outra organização, trazendo referências não muito favoráveis do grupo que passou a comandar. A questão pode até se resumir ao temperamento: aquele líder sempre foi desconfiado de tudo. Não importa qual seja a razão, uma vez instalada, a desconfiança mina o espírito de equipe e empurra o grupo ao fracasso. Sem confiança na equipe, o líder não alcança o melhor de seu potencial nem permite que seus liderados o façam.

Ninguém quer se arriscar, por isso, ninguém oferece o melhor que tem. O medo exagerado de entregar uma responsabilidade em mãos erradas impede que o líder se disponha a identificar os valores da equipe sob seus cuidados. Ele não delega, não incentiva, não compartilha. Em sua mente, todos são culpados até que se prove o contrário.

Não deve ser essa a postura do líder. É evidente que não pode ser ingênuo e acreditar sempre em todos, de maneira incondicional. No entanto, é preciso que se dê um voto de confiança à sua equipe, até porque é a única maneira de receber confiança em troca. O líder não é tolo, mas também não permite que o excesso de cuidados ou melindres o impeça de tomar boas e importantes decisões.

Um comentário em “Atenção líderes! É preciso cultivar e manter a confiança da equipe

  1. Glória a Deus, tenho um trabalho de faculdade sobre Trabalho em Equipe, sem dúvida aprendi muito com esse artigo do Bispo Rodovalho, vou usar isso na minha vida (pessoal, profissional, ministerial), mas também vou passar para os colegas de turma. Obrigado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *