As Consequências da Queda – Parte II

O pecado está relacionado com o tipo de semente que está em nós. Caim não era filho do diabo, era filho de Adão e Eva; porém, ele andou e obedeceu à palavra de Satanás, tendo afinidade com as obras da carne. Elas são as portas de entrada para demônios e para a operação do inimigo.
“Pois a carne deseja o que é contrário ao Espírito, e o Espírito o que é contrário à carne. Estes se opõem um ao outro para que não façais o que quereis. Mas, se sois guiados pelo Espírito, não estais debaixo da lei. As obras da carne são conhecidas, as quais são: prostituição; impureza; lascívia; idolatria; feitiçarias; inimizades; porfias; ciúmes; iras; pelejas; dissensões; facções; invejas; bebedices; orgias e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos preveni, que os que cometem tais coisas não herdarão o Reino de Deus” (Gl. 5:17-21).
Paulo disse, em Ef. 2:1-3, que todos nós andávamos segundo o príncipe das potestades do ar, fazendo o desejo da nossa carne e da nossa vontade que estão alinhadas a ele.
“Ele vos vivificou estando vós mortos nos vossos delitos e pecados, nos quais andastes outrora, segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que agora opera nos filhos da desobediência. Entre eles todos nós também antes andávamos nos desejos da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos. E éramos por natureza filhos da ira, como também os demais”.
Por ter obedecido à voz da serpente, tanto o homem como a mulher trouxeram para si toda a natureza que estava naquela serpente. Isto foi o grande desastre da humanidade. A partir daquele instante o homem já não era neutro, mas tinha uma grande força agindo nele. Essa grande força é a concupiscência. A palavra “concupiscência” significa grande e forte desejo que age em nós tanto na carne quanto nos olhos.
Esse grande desejo para satisfazer a carne, os olhos e para produzir obras que são estranhas a Deus, tem afinidade com Satanás e perverte o caráter do homem e, conseqüentemente, o de toda humanidade.Todo o capítulo 5 de Gênesis afirma que os homens geraram outros à sua imagem e semelhança. Isto fala de perpetuar a aparência e a natureza. A palavra imagem (Tselem) fala da semelhança na aparência. A palavra semelhança (Dã Mãh) fala de aparência interior. Assim, toda a descendência foi afetada por esta semente maligna que foi implantada em Adão e Eva.
Toda carne se tomou enferma porque nela foi impressa a semente da serpente, ao invés de ser impressa a semente de Deus, que é a Sua Palavra. Por isso Jesus se tomou carne humana. Ele venceu o pecado que operava nos homens e ganhou o direito de se tomar vencedor para dar aos que crerem e receberem Seu Espírito.
“Assim como Moisés levantou a serpente no deserto, da mesma forma importa que o Filho do homem seja levantado” (Jo. 3:14).
Cristo foi levantado no madeiro. Desde o Velho Testamento, Deus anunciou que cravaria a serpente na cruz e que toda a semente má na natureza humana seria um dia aniquilada. Por isso, em I Co. 15:47-49, Paulo declara que existem duas descendências:
“O primeiro homem, sendo da terra, é terreno; o segundo homem é do céu. Qual o terreno, tais são também os celestiais. E, assim como trouxemos a imagem do terreno, assim traremos também a imagem do celestial”.
Fique atento, amanhã continuamos esse estudo.
Bispo Rodovalho

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *