Crescimento e Unidade

 “… até que todos cheguemos à unidade da fé e do pleno conhecimento do filho de Deus, à perfeita varonilidade, à medida da estatura da plenitude de Cristo” (Ef 4: 13). 
O primeiro alvo que os santos atingirão é a unidade da fé. O que significa isto? Por que o apóstolo Paulo nos diz que um dia alcançaremos esta unidade de fé? Será que não a temos agora? A resposta é não. Realmente não a temos.
No mesmo capítulo de Efésios, versículo 3, Paulo afirma devemos nos “esforçar diligentemente para preservar a unidade do Espírito no vínculo da paz”. Vemos aqui dois tipos de unidade: a unidade da fé e a unidade do Espírito. Paulo diz que devemos guardar, devemos manter a unidade do espírito.
“Vós, porém não estais na carne, mas no Espírito, se, de fato, o Espírito de Deus habita em vós. E, se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dele” (Rm. 8:9).
Quando cremos, recebemos do mesmo Espírito. Podemos pensar diferente, podemos até crer em aspectos diferentes; nossa fé pode não ter os mesmos pontos em coisas não essenciais. Por exemplo: um crê que pode comer todas as coisas, outro crê que pode comer apenas legumes; um crê que o arrebatamento será antes e outro que será depois da tribulação. Portanto, hoje, não temos a mesma maneira de pensar, nossa fé pode ter pontos de vista diferentes. Mas não é assim com o nosso espírito, temos somente um: o Espírito do Deus eterno.
“Um crê que de tudo pode comer, mas o débil come legumes; quem come não despreze o que não come; e o que não come não julgue o que come, porque Deus o acolheu” (Rm. 14:2-3).
E, se não O possuímos, não somos Seus filhos, e não temos parte com Ele. Então, com base no Espírito de Deus podemos ter comunhão, e devemos nos esforçar para falarmos e compartilharmos com irmãos que pensam diferente de nós; contudo, não para combater ou convencê-los de que estamos certos.
A unidade da fé virá à medida que amadurecemos e desistimos das coisas de menino. Brigas, contendas, rixas e facções são próprias das crianças, e é por isso que a Igreja hoje necessita amadurecer em Deus, só então a unidade da fé surgirá. O Espírito de Deus falará e nos levará a ver de uma vez para sempre os mesmos aspectos da fé que Ele nos entregou.
Não adianta tentarmos forçar uma unidade de fé agora; o que podemos fazer é manter a unidade do Espírito. Podemos nos reunir com irmãos de várias congregações que pensam diferente de nós, para louvar e bendizer ao Senhor, porém não na base de doutrinas ou de pontos de vista diferentes. Precisamos deixar as diferenças nas mãos de Deus e nos reunir para ter comunhão espiritual. Temos de nos juntar para falar e compartilhar daquilo que nos é comum. Em relação às doutrinas diferentes não precisamos nos apressar, pois à medida que amadurecermos, Deus produzirá a unidade. Hoje a nossa responsabilidade é manter a unidade do Espírito, crescermos e amadurecermos, e Ele fará o restante em relação à unidade da fé.
“… muito mais o sangue de Cristo, que, pelo Espírito eterno, a si mesmo se ofereceu sem mácula a Deus, purificará a nossa consciência de obras mortas, para servirmos ao Deus vivo” (Hb. 9: 14).
Bispo Rodovalho

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *