Fenasp e Concepab promovem sabatina com candidatos do DF ao Senado Federal

O Fórum Evangélico Nacional de Ação Social e Política (Fenasp) junto com a Confederação do Conselho de Pastores (Concepb) e outras entidades evangélicas, promoveram na tarde desta quarta-feira (24), na “Igrejinha” da Embaixada Sara Nossa Terra, sabatina com os principais candidatos do Distrito Federal ao Senado: Geraldo Magela (PT) e e Gim Argello (PTB). O secretário executivo nacional do Fenasp, Valdery Ribeiro, disse que esse debate contribui para a democracia do país. ” Além de denunciar propostas que tramitam no Congresso Nacional que vão contra a família, a vida e  a liberdade religiosa”, disse

O evento foi mediado pelo apresentador do programa Diário Brasil, da Rede Gênesis, Celso de Marco. Cada canditado teve 30 minutos para responder às perguntas feitas por lideranças evangélicas que abordaram as seguintes questões: aborto; casamento e família natural; liberdade de expressão e prática religiosa; laicidade do Estado, legalização das drogas; erotização infantil e exploração sexual de crianças e adolescentes; políticas públicas; ampliação dos programas de proteção, combate a toda e qualquer forma de discriminação e preconceito; reforma tributária e política e a regulamentação dos templos religiosos.
O primeiro candidato a expor suas propostas e opiniões foi o então senador Gim Argello,  que elogiou a iniciativa das entidades evangélicas ao cederem o espaço. “É muito bom ter esse momento para expor nossas opiniões”, disse. Quando perguntado sobre os relacionamentos homoafetivos, o candidato foi enfático: “Sou defensor da família tradicional. Sou contra o aborto e contra os relacionamentos de homem com homem e mulher com mulher. Sou contra a possibilidade do casamento, porque quem tem posição tem oposição “. Falou sobre a descriminalização das drogas e a importância da legalização dos templos religiosos. ” Enquanto estiver no governo, não posso permitir a legalização das drogas em nosso país, as pessoas não enxergam a ruína que esse tipo de substância causa. Aprovo leis boas, por isso sou a favor do respeito a religião de todos. Gosto de ajudar quem precisa de ajuda. Já é lei desde 2006 a regularização dos templos” . Quanto a diminuição da maior idade penal destacou: ” Com  16 anos o jovem é capaz de discernir o que é certo e errado. Se ele é capaz de matar é capaz de assumir seus atos”.
O então deputado federal, Geraldo Magela, foi o segundo confrontado. “Ter a oportunidade de expor nossas propostas e é um ganho para a democracia do país”, agradecendo pelo convite.  Magela destacou a posição que o político brasileiro deve ter perante a sociedade. “Temos que estar preparado para exercer o mandato e servir a população. Se eu estiver no Senado estarei votando nos direitos cristãos, da família tradicional e estarei a disposição da população”. Sua opinião sobre a legalização dos templos religiosos também foi contundente. “É absolutamente equivocado votar contra a legalização dos templos que fazem trabalho de evangelização e social.”
O candidato também foi confrontado a responder e expor seu posicionamento quanto a diminuição da maior idade penal e legalização da maconha. “A gente não pode achar que diminuir a idade penal vai resolver o problema da violência urbana, mas não podemos fazer vista grossa a esse debate. Devemos consultar as famílias, igrejas e a sociedade num geral. Sou contra a legalização da maconha para uso recreativo, mas se o seu uso  for para fins medicinais deve ser permitido. Legalizar a droga vai na contra mão da inclusão da juventude.”
O candidato falou também sobre a cirurgia de mudança de sexo e o a erotização e sexo livre para crianças. “Qualquer pessoa pode tomar uma posição em sua vida, desde que seja maior de idade, a cirurgia para as crianças é inadmissível. Considero que a educação é feita em várias possibilidades seja ela na escola, família e igreja, por isso devemos informar as crianças a serem tolerantes, não podemos sonegar informações, mas não quer dizer que devemos estimular para o sexo. Tudo tem sua hora. Devemos respeitar e ensinar os valores para as crianças, sem permitir que o preconceito se enraíze.”
No final de cada sabatina, os candidatos assinaram uma carta compromisso com as bandeiras cristãs.  José Antônio Reguffe (PDT) não compareceu ao evento alegando motivos de saúde. Em comunicado, ressaltou ser cristão e, caso seja eleito, defenderá os direitos da família. O mediador Celso de Marco leu todas as perguntas que seriam feitas ao candidato Reguffe e, em seguida, o apóstolo Marco Vila Flor, fez uma oração pedindo pela atual conjuntura política que o país vivendo.
Confira fotos:

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *