Mulheres Surpreendentes!

Mais uma vez algo surpreendente me acontece. Essa se deu no Dia Internacional da Mulher.
A festa decorria normalmente na Esplanada dos Ministérios. Todos os presentes aguardavam o show do cantor Fábio Júnior. Uma multidão em torno de 10 mil pessoas aguardava a entrada da estrela principal e neste meio tempo, eu visitava as tendas das Secretarias que ali estavam prestando serviços. Entre elas as tendas das Secretarias do Trabalho, Ação Social e da Saúde.
Eu estava visitando a tenda da Saúde e cumprimentava as mulheres parabenizando-as, quando de repente se aproxima de mim uma mulher maltrapilha. Roupas rasgadas, cabelos despenteados, sandálias nos pés e um saco nas costas. Cena bem típica e característica de nossos pobres e mendigos brasileiros.
Eu percebi que ela me acompanhava já há algum tempo, quando eu me voltei para ela e a cumprimentei pelo seu dia. Ela sorriu, de forma envergonhada pela ausência de dentes e me disse:- “Posso te fazer um pedido? Imaginei que ela fosse me pedir algum dinheiro para comer ou um emprego para um parente. Mas ela me surpreendeu quando me disse:- “Eu quero uma oração sua como presente no dia de hoje, é possível?”
Confesso que me desconcertei. Senti amor por ela e compaixão por seu estado e toda sua dor. Senti que ela apelava ao poder soberano de Deus, e desistira de qualquer petição na esfera humana, pela decepção no plano natural.
Coloquei minha mão em seu ombro, caminhei com ela a um lugar um pouco mais silencioso, aonde oramos naquele momento. Ela me abraçou, agradeceu e se afastou.
A cena continuou comigo durante todo o dia. Aquela mulher suja, maltrapilha e desencantada com a vida, representava para mim quase uma parábola. Ela representava uma classe de mulheres que pertencem a outro Brasil. O Brasil dos pobres, dos desencantados, dos desistentes. Logo no Dia Internacional da Mulher!
Meditei naquele quadro o restante do dia, e tive a clara consciência de que as mulheres brasileiras merecem bem mais que um dia de festas. Elas merecem políticas públicas que as levem á dignidade e a plena cidadania.
Precisamos resgatar a esperança de nossa gente, especialmente de nossas mulheres que são mães, companheiras e esposas. São elas que sofrem todas as dores de sua família, de seus filhos e de suas próprias vidas.
Como Bispo e homem que acredita no poder sobrenatural de Deus, eu apreciei aquela oração. Mas como homem público, eu senti o impacto de seu pedido. Ela desistira da humanidade. Agora, sua única esperança e expectativa, eram o transcendental e o Divino.
Como cenas como esta, com tão poucas palavras, podem representar tanto para nós? É incrível que tiremos lições tão profundas de momentos tão breves e inesperados!
Que possamos tirar força destas lições e lutar. Lutar por um Brasil que necessita desesperadamente de nossa ajuda e de nosso trabalho. São momentos como estes, que nos dão forças para prosseguirmos adiante.
Que possamos ajudar, seja por meio de projetos de leis, de projetos e programas sociais e de governos, para que nossa gente acredite na vida e tenha coragem e força para lutar por ela.

Deputado Rodovalho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *