O Propósito de Deus Ao Criar o Homem

Deus criou o homem para ser uma expressão de Si. O Senhor o formou para ser semelhante a Ele e para ser o Seu representante legal na terra.
No capítulo primeiro do livro de Gênesis, há a primeira menção à criação do homem. Encontramos ali não apenas o relato de como Deus o criou, mas por que o criou. O versículo 27 diz que Deus criou o homem à Sua imagem. Sem dúvida, o Senhor queria alguém que pudesse expressar Sua imagem e semelhança.
“… Criou Deus, pois, o homem à Sua imagem, a imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou. E Deus os abençoou, e lhes disse: sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra e sujeitai-a; dominai sobre todo animal que rasteja pela terra …” (Gn. 1:27-28).
Deus criou o homem para ser uma expressão de Si. O Senhor o formou para ser semelhante a Ele e para ser o Seu representante legal na terra. Podemos entender melhor esse princípio em Ez. 28:14-15: “Tu eras querubim da guarda ungido, e te estabeleci; estavas no Monte Santo de Deus, andavas entre as pedras afogueadas. Perfeito eras nos teus caminhos desde o dia em que foste criado, até que se achou iniqüidade em ti”.
Vemos que Lúcifer possuía o encargo de proteger o Monte Santo e era perfeito em seus caminhos, sendo um representante de Deus e estando submisso a Ele. Mas no versículo seguinte encontramos sua queda. Lúcifer caiu e uma brecha se fez nos céus. Então Deus criou o homem, conforme está escrito no primeiro capítulo de Gênesis, para suprir esta lacuna.

“… a terra, porém era sem forma e vazia: havia trevas sobre a face do abismo, e o Espírito de Deus pairava por sobre as águas …” (Gn. 1:2).

Este versículo fala de Lúcifer no estado de pecado e queda. Encontramos o Espírito de Deus se movendo para desfazer as obras do diabo. Paulo fala sobre um mistério em Ef. 5:31-33:

“Por isso deixará o homem seu pai e a sua mãe e se unirá a sua mulher, e serão os dois uma só carne. Grande é este mistério, mas eu me refiro a Cristo e à Igreja. Assim também vós, cada um em particular, ame a sua própria mulher como a si mesmo, e a mulher respeite a seu marido”.

Ele fala sobre o homem e a mulher e faz uma comparação entre Cristo e a Igreja, marido e a esposa.

“… não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma auxiliadora que lhe seja idônea …” (Gn. 1:18).

Isso também se refere a Cristo e à Igreja. O homem foi criado para ser a noiva de Cristo, para completá-lo. Quando o Senhor criou Adão, estava formada a companheira; em Adão foi formada a noiva para seu filho, e por isso Paulo diz que a Igreja é o complemento de Cristo. A palavra “complemento” fala daquilo que falta para ser completo.

“… A qual é o seu corpo, a plenitude daquele que a tudo enche em todas as coisas …” Ef. 1:23.

Cristo é completo em si, porém Ele necessita de comunhão assim como o homem necessita de comunhão e da mulher. Vemos, portanto, que Deus nos criou para este fim e, por meio da comunhão, somos íntimos em Seu amor.

“Então, ouvindo a voz do Senhor Deus, que passeava no jardim pela viração do dia, esconderam-se o homem e sua mulher da presença do Senhor Deus entre as árvores do jardim. Mas chamou o Senhor Deus ao homem, e lhe perguntou: Onde estás?” (Gn. 3:8-9).

Deus estava ali para compartilhar, conversar e se relacionar com Adão e Eva, pois para isto Ele os havia criado: para serem amigos íntimos. Nisto também está o prazer do homem. Quando está em comunhão com o Senhor, sua vida tem sentido; porém, quando perde este propósito de vista, se toma vazio e vagante.

O Senhor também diz sobre a criação do homem: “… multiplicai-vos, enchei a terra e sujeitai-a…” (Gn. 1:28).

Vemos dois propósitos para Adão em relação ao Jardim: guardá-lo e lavrá-lo. Com relação à terra, Adão deveria sujeitá-la e dominá-la. Deus colocou o Jardim como um foco de luz no meio das trevas. O Éden era o quartel general de Deus aqui na terra e nele estava Adão. Ali estava o representante do Senhor. Quanto à terra, Adão tinha que dominá-la e governá-la.

Por que Deus disse para Adão guardar o Éden? Guardar de quem? Havia algum inimigo? Sim, havia. Este inimigo era o diabo e ele estava na terra, por isso o Senhor disse a Adão: “Você guardará o Éden e expandirá o nosso domínio e o nosso reino por toda terra”. Ou as trevas iriam ao Éden, ou a luz do Éden iria à terra. Este é o princípio do Reino de Deus.

O Senhor estava colocando aqui o seu Reino e escolheu o homem para, por intermédio Seu, vencer Satanás e expulsá-lo da terra da qual havia se apoderado nos capítulos 1 e 2 do livro de Gênesis.

Sabemos o que aconteceu: o Éden foi vencido, as trevas da terra invadiram o Éden. Adão não guardou o Jardim como devia, ele não percebeu quando o diabo entrou, se incorporou na serpente e tentou a mulher. O maior culpado pela queda foi o próprio homem. Ele tinha a responsabilidade de guardar o Jardim e não o fez.

Bispo Rodovalho

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *