O que está acontecendo com a família?

Nossa sociedade está sendo levada pela segmentarismo, ceticismo e a pluralidade. A família está perdendo suas características naturais, recebendo pressões para ser vista e vivida pelo afeto, não pela aliança, compromisso. E é o que foi nos herdado pelos nossos pais e entendemos que seja delegada por Deus. 

Acho importante a gente meditar sobre as consequências dessa realidade. Isso tem frutos! Gera seres humanos diferentes do que herdamos no passado. A família, como projeto original, é insubstituível porque ela é o elemento básico da formação do ser humano. Nós não conhecemos outra experiência tão eficaz. O Império Romano, por exemplo, tentou formar indivíduos, não pela família, mas pelo exército. Eles tiravam as crianças das suas casas por volta dos 7, 9 anos e criavam os pretensos “guerreiros”. Sabemos o desvio que aquilo causou, um batalhão de pessoas suicidas em potencial.  Depois, com a influência da igreja, definitivamente, venceu a batalha daquela obscuridade do primeiro século. As famílias tinham que se tornar mais fortes para sobrevivência dos bárbaros que os invadiam.

A pergunta é: Quais são as consequências dessa sociedade hoje? A gente sente que estamos em um trabalho quase que de guerrilha. Quando nós somos minoria em uma guerra de grande maioria, temos que ser inteligentes nas estratégias que estaremos usando. Embora a grande maioria da nossa sociedade ainda acredite na família, o capital trabalha em prol da anarquia, do caos.

Eu como físico, acho que estamos caminhando um pouco para o caos no sentido de uma desorganização de único sistema. Por que o caos não é uma desorganização total, mas de um sistema global, formado por microssistemas extremamente fortes e organizados que, quando você tenta uni-los em um quadro maior, consegue uma desorganização geral chamada caos. Por isso que a física, recentemente, criou a Teoria do Caos, porque ela é previsível. Em cima dessa ciência é que se descobriram as mais modernas técnicas de prevenção, por exemplo, de furacões, tufões.

Sem família, formamos uma geração sem identidade. Se uma criança não teve um afeto, amor, identidade de gênero, ela se perde completamente na sua própria identidade. Vamos ter pessoas sem autoestima. Se eu tenho um pai que não ama, protege, faliu na sua essência, teremos pessoas sem identidade e autoestima.

Hoje o que se vê são milhares de pessoas buscando prazer instantâneo porque nada tem sentido, nada vale a pena. Isso é o quadro dos nossos jovens adolescentes. É só ir às cidades mais carentes. Eu vejo isso! Como faço trabalhos sociais, visito muitos lugares, lá estão cheios deles usando drogas, dispostos a roubar, matar porque não tem nada a perder, completamente sem estima. E isso está se proliferando nas outras classes sociais como A, B.

De um modo geral, o mundo ocidental, não está sabendo lidar com esses problemas Ninguém está sabendo ser relacionar com essa juventude. Estamos colhendo crianças abandonadas, adolescentes transgressores e adultos criminosos. Os números nos assustam. Não tem cadeia para colocar toda essa gente, estamos caminhando para o caos, para a falência, em qualquer área. Muito bem, isso tem um preço. O sistema vai ficar modernizado? Não! Eu não sou pessimista, muito pelo contrário, sou até muito otimista, sabe por quê? Deus sempre agiu no caos.

Em Gênesis 1, a primeira frase é “em princípio Deus criou a terra, que era vazia, sem forma”. Logo em seguida, vemos que o Espírito Santo de Deus pairava sobre a face das águas. Houve reconstrução. O que quero dizer com isto? Que Deus sempre trabalhou no caos. É no caos que a grande maioria das pessoas pensam em Deus, buscam a Ele. Estamos nesse grande Titanic e que Deus nos ajude a reconstruir esse mundo.

A igreja cristã só prevaleceu por conta do caos do Império Romano que faliu toda sua essência. A falência daquele povo foi completa, mas Deus levantou o povo, uma igreja. A Bíblia diz que o monte da Casa do Senhor é maior do que todos. Temos um trabalho intenso porque o único lugar seguro nessa terra, tenha certeza, será a igreja do Senhor. Será o sistema montado por quem tem visão, sobriedade, discernimento, bom senso. A democracia serve para isso: alguns se matam, se destroem, mas serve também para montarmos igrejas, comunidades terapêuticas sérias e isso passa pela vida dos lideres cristãos desse país.

Não podemos fazer um discurso bonito e ter uma vida torta. Temos que ter coerência no que falamos e vivemos. Ser exemplo para essa geração. Se tem caos, os jovens precisam olhar para um lugar seguro. Esse é o desafio que pulsa nas nossas responsabilidades. Que Deus nos ajude a construir essa opção de ser exemplo para uma geração.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *