Sessão solene na Câmara de SP celebra 500 Anos da Reforma

A Câmara Municipal de São Paulo, em parceria com a Confederação dos Conselhos de Pastores do Brasil (Concepab), realizou na  segunda-feira, 30 de outubro, sessão solene em celebração aos 500 Anos da Reforma Protestante, movimento que começou na igreja e mudou a história do mundo.

O evento será no Plenário 1º de Maio, no 1º andar da Câmara Municipal (Viaduto Jacareí, 100 – Bela Vista), a partir das 19h00. A solenidade, uma iniciativa do vereador Eduardo Tuma, terá como oradores lideranças religiosas, entre as quais o bispo Robson Rodovalho, presidente da Concepab e da Igreja Sara Nossa Terra, e o pastor José Wellington Bezerra, presidente da Assembleia de Deus Ministério Belém.

 Entre as lideranças políticas convidadas estão o governador do Estado, Geraldo Alckmin, e o prefeito da cidade, João Doria. A presença das autoridades deve ser confirmada com as respectivas assessorias.

Na solenidade, a Concepab irá lançar uma publicação especial que resgata a história da Reforma, seu impacto sobre o mundo de então e reflexos até os dias de hoje – a revista 500 ANOS DA REFORMA PROTESTANTE – Conheça o movimento da Igreja que mudou o mundo.

Para Rodovalho, representante de ministérios cristãos evangélicos, a data deve ser celebrada pelos brasileiros como um momento de reflexão, sobre seus valores, deveres e direitos como cidadãos.

“Precisamos reavivar a mensagem da Reforma, que foi apenas o começo, a semente que fez nascer um novo homem, 500 anos atrás. O movimento reformista, ao revelar que a salvação vem pela fé e não por penitências, privações ou sofrimentos, deu ao homem a confiança necessária para assumir que nada, nenhum sistema é absoluto, que é possível questionar e mudar tudo aquilo que não sirva ao bem-estar das pessoas”, diz o bispo, também presidente e fundador da Igreja Sara Nossa Terra.

“O homem precisa ter dentro dele o sentimento de que a miséria não é um castigo de Deus, que não é uma coisa natural. É preciso enfrentar a miséria como uma maldição, que precisamos lutar contra ela de todas as formas. Então, na responsabilidade que todos nós devemos ter, além dos nossos deveres, temos o direito de cobrar dos governos políticas públicas de Estado para combater a pobreza, a desigualdade, as privações”.

Fonte: gospelprime.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *